segunda-feira, 18 de junho de 2012

EQUILÍBRIO POSTURAL


Quando sentimos tontura há um desequilíbrio do nosso corpo e esse sintoma é um dos mais freqüentes em todo o mundo e são de origem labiríntica em 85% dos casos. Mais raramente, as tonturas podem ser de origem visual, neurológica ou psíquica.


A Vertigem é um tipo particular de tontura, caracterizando-se por um sensação de rotação.

A Labirintite é uma enfermidade de rara ocorrência, caracterizada por uma infecção ou inflamação no labirinto. O termo é utilizado de forma equivocada para designar todas as doenças do labirinto.
Existem dezenas de doenças e/ou distúrbios labirínticos e cada uma delas tem características próprias que exigem formas especiais de tratamento.



E como isso ocorre?

A maioria das pessoas utilizam a palavra tontura para descrever a sua perturbação do equilíbrio corporal. Outras descrevem essa perturbação como atordoamento, sensação de “cabeça leve”, entontecimento, estonteamento, impressão de queda, instabilidade, sensação de flutuação, de estar caminhando em cima de um colchão, tonteira ou, ainda, zonzeira.

A vertigem é o tipo mais freqüente de tontura. O paciente sente-se girando no meio ambiente ou o ambiente gira a sua volta.

As crises mais fortes de tontura podem ser acompanhadas de náuses, vômitos, suor, palidez e sensação de desmaio. Muitos pacientes com tontura também podem referir outros sintomas como ruídos no ouvido ou na cabeça (zumbido), diminuição da audição, dificuldade para entender, desconforto a sons mais intensos, perda de memória, dificuldade de concentração, fadiga física e mental. Isso é devido às inter relações entre o sistema do equilíbrio com a audição e outras funções do sistema nervoso central.

Onde encontro o labirinto?

A Cóclea (semelhante a um caracol), que é responsável pela nossa audição.

O Vestíbulo (a parte central do labirinto) que juntamente com os  três canais semicirculares, respondem ao nosso equilíbrio corporal


Fonte: http://tontura.com.br/?menu_id=4&id=107

Porque sentimos tontura?

Antes precisamos saber que o equilíbrio corporal depende de três sistemas:

Sistema visual: que é diretamente controlado pelo cérebro e nos auxilia a observar alvos visuais, informando a respeito do ambiente que estamos.

Sistema Proprioceptivo: transmitindo as informações dos músculos e articulações para o cérebro e definindo o posicionamento do nosso corpo no espaço.

Sistema Vestibular (que é o labirinto): informa ao cérebro todos os nossos movimentos e nos permite fixar e olhar os objetos durante o deslocamento do corpo.

Quando o cérebro não recebe informações de um ou mais sistemas, acaba ocorrendo a desorientação corporal e a tontura.

A manutenção do equilíbrio corporal é uma função extremamente complexa e envolve diversos órgãos e sistemas.Os principais sensores do sistema do equilíbrio estão no labirinto, nos olhos, na pele e nos músculos e articulações.

O labirinto informa sobre a direção dos movimentos da cabeça e do corpo (para cima, para baixo, de um lado para o outro, para frente, para trás e rotações). Os olhos informam sobre a posição do corpo no espaço, a pele informa sobre qual parte do corpo que está em contato com uma superfície e os músculos e articulações (sistema proprioceptivo) informam sobre os movimentos e quais as partes do corpo que estão envolvidas com eles.
Fonte: Internet
O sistema labiríntico é a central de informações, que recolhe os impulsos de todos os sensores eo sistema nervoso central as recebe para serem analisadas. As informações recebidas devem ser coerentes. A chegada de informações conflitantes pode resultar em tontura e enjôo até que o sistema se habitue a esta nova realidade.

Para saber se você tem labirintite o paciente deve consultar-se com um médico que valorize sua queixa, pesquisando em sua história clínica qual ou quais as causas que possam estar colaborando para o desenvolvimento do quadro.


Fonte: http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?542



Nenhum comentário:

Postar um comentário